Portal Namazonia - Completo pra você

Sábado, 21 de maio de 2022
MENU

Justiça

Em parceria com a Semed, TCE-AM irá fiscalizar gastos de gestores de escolas municipais

Programa Orçamento na Escola (Proesc), que irá repassar para os gestores das escolas municipais uma verba para ser utilizada no ambiente escolar.

Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) irá fiscalizar os gastos feitos pela comunidade escolar em 499 unidades de educação da Secretaria Municipal de Educação (Semed), em Manaus. Em uma reunião realizada na manhã da última quinta-feira (7), na sede da Corte de Contas amazonense, representantes da Semed apresentaram o funcionamento do Programa Orçamento na Escola (Proesc), que irá repassar para os gestores das escolas municipais uma verba para ser utilizada no ambiente escolar.

“É uma grande satisfação para o Tribunal de Contas realizar parcerias com outros órgãos, sempre em busca do bem comum, que é o uso correto do dinheiro público. Estaremos sempre à disposição para ajudar no que for possível para que esse programa de orçamento na escola seja realizado de forma eficiente, incentivando inclusive as novas gerações de estudantes a ter responsabilidade fiscal desde cedo”, disse o presidente do TCE, conselheiro Mario de Mello.

Criado pela lei municipal 2.753/2021 e regulamentado pelo decreto municipal 5.152/2021, o Proesc é financiado por recursos do ‘Salário-Educação’, contribuição social destinada ao financiamento de programas, projetos e ações voltados para a educação básica pública, conforme previsto no § 5º do art. 212 da Constituição Federal de 1988.
Conforme o secretário de controle externo do TCE, Jorge Lobo, o Tribunal de Contas entrará como parceiro na parte fiscalizatória. Segundo ele, o Proesc funciona, de certo modo, como um aprendizado para toda a comunidade escolar no uso do dinheiro público.

“Esse é um programa que irá incentivar a comunidade escolar, sejam gestores, alunos ou pais e responsáveis a buscar gerir de forma correta aquele dinheiro destinado pelo executivo municipal. O Tribunal de Contas entrará como parceiro justamente na hora de fiscalizar esse dinheiro, para verificar se está sendo empregado de forma correta, buscando o bem comum do ambiente escolar”, explicou o secretário de controle externo do TCE-AM, Jorge Lobo.

Recursos

O programa deverá impactar, ao todo, 249.510 estudantes, entre escolas, creches e centros de educação infantil. O objetivo do programa, segundo a coordenadora Jussara Marques, é dar maior agilidade ao repasse de recursos financeiros para as unidades da rede municipal de ensino.

“Os gestores terão a possibilidade de realizar a compra de itens pontuais do dia a dia escolar e do uso do dinheiro para manutenções que sejam necessárias na escola, de forma mais autêntica, sem precisar passar por um trâmite burocrático grande. É uma forma de dar autonomia para toda a comunidade escolar, já que o uso do dinheiro não dependerá apenas do diretor da escola, mas de uma decisão comum entre pais, alunos, professores e gestores”, destacou a coordenadora.

Os valores distribuídos para cada unidade escolar serão calculados pelo número de estudantes matriculados na escola, com teto de R$ 70 mil para escolas com até 2,5 mil alunos.  O uso da verba será então fiscalizado por meio de prestação de contas de cada unidade. No programa, os gestores são incentivados a realizar o gasto da verba preferencialmente no comércio local que a unidade está inserida, por meio de pesquisa de preços.

Comentários:

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )